sábado, 30 de maio de 2009

LOUCOS NOS FILMES, LOUCOS NA VIDA REAL

Ok, fotos novas de GAMER.
Kable preparando-se para sua vingança.
O momento crucial.
Um guerreiro...
...que só deseja sua liberdade de volta.
E sua vingança!
Ele não tem mais nada a perder.
Ele é só mais um dos Slayers.
O melhor de todos.
Mas apenas um jogo nas mãos de um garoto.
Mas isso está prester a mudar.
Ele vai lutar!
Mas dessa vez por sua liberdade.
E por sua esposa.
O jogo agora é real!

Nossa, fui muito dramática nessas frases.

Gente, esse mundo está cheio de pessoas insuportáveis como essa louca que anda assediando o Gerry.

http://www.tmz.com/2009/05/30/meat-gerard-butler/

É por causa dessas loucas que os artistas fogem das fãs, por causa de idiotas como essa que só querem aparecer. Ridícula é pouco para esse criatura.

Quando eu me tornar Sra. Butler vou tomar providências para acabar com essa festa. Adoro ser estraga-prazer nessas horas rs, rs

Se alguém ainda não viu, confiram o post anterior sobre signos, está bem divertido.

Beijos e bom fim de semana.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

PARA ESQUENTAR UM POUQUINHO

Estou entediada e preciso deixar vocês um tanto assadinhas, pra não perder o costume, sabe?
Posts com signos sempre são divertidos e fazem com que a gente sonhe com a bendita compatibilidade com o Gerry. Então, lá vamos nós de novo.
SEU BEIJO
Escorpião - Beijo
ESCORPIÃO - Tem o beijo mais erótico e quente. Primeiro envolve a pessoa em sua magia, mistério e romantismo, depois dá o bote. A sensualidade é marca registrada em seus beijos.

Oh, yes, nós já vimos isso.

Escorpião - Personalidade

SÍMBOLO DA RENOVAÇÃO

"Eu busco a mim mesmo através do que desejo"

1º Decanato: É tímido, sensível e pensa muito antes de agir, sofre muitos desenganos (22/10 a 31/10).

2º Decanato: Sofre menos pois, é mais firme e mais falante, hospitaleiro e amável ( 01/11 a 10/11).

3º Decanato: Tem paixões ardentes, é energético e inteligente (11/11 a 21/11).

ELEMENTO: Água

PLANETA: Plutão e Marte em seu domicílio noturno

PAR IDEAL: Touro (Discordo, acho que é Virgem rs, rs)

COR: Vermelho escuro, Púrpura e Marrom

PEDRAS: Topázio e Água marinha

METAL: Ferro

PERFUME: Rosa claro e Violeta

PLANTAS E FLORES: Vidreira, Azaléia, Absinto, Feijão e Abrunheiro (Feijão? Tudo o que se refere ao Gerry deveria me parecer sexy, não vejo nada sexy num pé de feijão, João rs, rs)

DIA DE SORTE: 3º feira (Se eu estiver na cama com ele qualquer dia da semana será dia de sorte. Para mim! rs, rs)

N º DE SORTE: 09 (Ah, bom pensei ter visto um 6 antes do 9 rs, rs)

ESTRELA GUIA: Kambalia (Kambalaia?)

PLANO DE VIDA: Astral

MAGIA: Espíritos das águas - Ondinas

ESTADO MENTAL: Excesso de preocupação com os outros

REMÉDIO FLORAL: Chicory (Isso é chicória em inglês? Me lembra o Juscelino! rs, rs)

DOMÍNIOS ANATÔMICOS: Órgãos genitais e ânus (Aaaaaiiii....Imagens eróticas vêm à minhamente rs, rs)

SAÚDE: Está sujeito à doenças nos órgãos genitais e nos órgãos do aparelho excretor (Vixe! Imagens nada eróticas vêm à minha mente. Cruzes!)

PRINCIPAL CARACTERÍSTICAS: Combatividade

PERSONALIDADE: Indivíduo inteligente, criativo, persistente e que provoca um certo mistério à seu respeito. É, também, arredio, desconfiado e rancoroso , no entanto, sua marca fundamental é a coragem, mesmo que desconheça o equilíbrio e a moderação.

VIRTUDES: Criatividade através de reconstrução; dedicação e lealdade nas relações de amizade; inspiração de .

DEFEITOS: Vampirismo psíquico; egoísmo total; tentativa de anular os outros; destrutividade total. (Vixe II)

AMBIENTE: É adequado o mar, pois a água é um elemento da natureza para ser dominado. Montanhas também, desde que sejam íngremes e desafiadoras.

ATIVIDADES: Competição não intimida o indivíduo deste signo, pois ele só se realiza quando consegue dominar os outros. Este nativo tem necessidade de desvendar coisas secretas, explorar o desconhecido e sondar o mistério.

Não sei porque toda essa descrição me fez lembrar do Lêonidas. Esse com certeza era de Escorpião!

Escorpião - Missão
Para entendermos por que e para que estamos na terra, DEUS destinou uma missão a cada um dos doze signos.
"Era manhã quando DEUS parou diante de suas doze crianças e em cada uma delas plantou a semente da vida humana. Uma por uma, elas dirigiram-se a Ele para receber seu dom e conhecer sua missão ". " Para você, Escorpião, dou uma tarefa muito difícil. Você terá a habilidade de conhecer a mente dos homens mas, não permito a você que fale sobre o que aprender. Muitas vezes você será magoado pelo que vê e, por causa da dor, se afastará de Mim e se esquecerá de que não sou eu, e sim a perversão de minha idéia que está causando sua dor. Você terá tanto do homem, que chegará a conhecê-lo como animal, e lutará tanto com seus próprios instintos que perderá seu caminho. Mas quando você finalmente voltar a Mim, Escorpião, eu terei para você o supremo dom do propósito". E Escorpião voltou a seu lugar. Então, DEUS disse: "Cada um de vocês é perfeito, mas vocês não saberão disso antes de cumprir sua missão". E as crianças saíram, cada uma determinada a fazer seu trabalho o melhor possível, para que pudessem receber seu dom. Mas DEUS sorriu quando disse: "Vocês voltarão a Mim muitas vezes pedindo para serem dispensadas de sua missão, e cada vez Eu concederei a vocês seus desejos. Vocês irão por incontáveis encarnações antes de completarem a missão original que lhes determinei. Eu lhes dou um tempo incontável para fazê-la, mas somente quando ela estiver feita, vocês poderão estar Comigo".
A mulher de Escorpião
A mulher de Escorpião tem uma beleza profunda, misteriosa. É atraente, orgulhosa e totalmente confiante. Mas tem uma mágoa secreta. Não nasceu homem. Esta perigosa mulher fatal pode ocultar o seu poder sob um sorriso trêmulo, modos gentis, e a mais angelical das vozes. Ela é capaz de odiar amargamente e de amar com um total abandono. Esta mulher tem uma certa intimidade que você jamais tocará, uma parte de sua mente e alma que pertence somente a ela e onde ninguém entra. Ela não é falsa, com feito na maior parte das vezes é brutalmente sincera, mas haverá sempre aqueles pensamentos e sentimentos especiais que jamais confiará a você ou a quem quer que seja. O natural interesse dela pelo sexo oposto pode dar-lhe tanta razão para ter ciúmes dela quanto ela de você. Talvez ela seja um pouco perigosa, mas é inegavelmente excitante. (Ou seja, PODEROSA!)
O homem de Escorpião
(MORRAM COM ESSA DESCRIÇÃO)
Numa palavra, este homem é invencível. Por trás de sua fria reserva, há um caldeirão efervescente que borbulha e chia continuamente. Ele confundirá você com seus dois traços de paixão e razão. Ele é senhor de ambas: é igualmente governado pela inteligência e pela emoção. Cada Escorpião é em si mesmo uma lei, e totalmente despreocupado com o que os outros possam pensar dele. Se você é delicada demais, acabará se arranhando com o Escorpião. Jamais lhe peça para dizer o que pensa de um vestido novo ou de um penteado, a não ser que você esteja preparada para ser picada pela verdade brutal. Pelo menos você saberá que suas afirmações positivas são sinceras, sem a cola pegajosa da bajulação hipócrita. Um amante de Escorpião, com uma mulher que verdadeiramente o compreenda, será terno, indulgente, atencioso, e retribuirá a lealdade dela com o tipo de amor que a maioria das mulheres só conhece de leituras e gostaria de ter. (Morreram? Eu já estou me debatendo. EU QUERO PRA MIMMMMMMMMMMM!!!!!)
Escorpião - Sensualidade
(SESSÃO TORTURA)
Se você se sente voluptuosamente atraído por um par de coxas generosamente expostas ou por frestas na roupa que permitem antever detalhes libidinosos, está apenas exercendo seu autêntico papel de escorpiano. (Olha a dica quente aí, minha gente!) Regido por Plutão, o nativo deste signo sabe que tem a magia da atração, uma força magnética irresistível e que, quando quer, usa, abusa e se lambuza. Mas se ilude com facilidade, achando que vai pescar um peixão quando acaba de cair na rede. Talvez valha a pena se enroscar; o escorpiano apaixonado exala sexo, tem fome e sede de um amor que só orgasmos múltiplos conseguem saciar. Por algum tempo. ATRAÇÃO FATAL: por Touro, parceiro completo e ideal. CONTATOS QUENTES: com Câncer, Virgem, Capricórnio e Peixes, desde que eles consigam sobreviver a tal furacão. Com a maior facilidade, caem nas graças de geminianos e aquarianos, que depois podem levar anos em intensiva recuperação. PASSE LONGE: de Áries ou de Leão. Com eles, o escorpiano bate de frente e experimenta, ao mesmo tempo, o amor e o ódio.
Escorpião - Compatibilidades
Escorpião - Áries
Relacionamento apaixonado, mas com a competição sempre presente, a rivalidade entre estes signos é inevitável. O Escorpião, quer que a ultima palavra lhe pertença, o Áries por sua vez não aprecia nem um pouco ser dominado. Os aspectos em comum são vários, e isso poderá contribuir para o entendimento.
Escorpião - Touro
Signos opostos, o ciúme e o sentido de posse estará sempre presente nesta relação. Uma bela relação no aspecto sexual. Os conflitos de ordem emocional, serão frequentes. Tudo será ultrapassado desde que hajam pontos em comum.
Escorpião - Gêmeos
Estes dois signos estão unidos por interesses comuns. O Escorpião e as suas posições radicais, não é bem visto pelos Gémeos. Desta relação poderá acontecer uma evolução mutua, mas a nível de compreensão nem tanto.
Escorpião - Câncer
Relação bastante favorecida, mas para poder resistir às investidas do Escorpião, o Câncer terá de se desdobrar em esforços para que não se choquem. O Escorpião se desejar tirar partido do que esta relação tem de bom, terá de se conter um pouco.
Escorpião - Leão
Relação que poderá resultar de uma forma muito favorecida. É necessário que o Escorpião se contenha e não seja agressivo. O Leão nunca aceitará de bom grado qualquer espécie de agressividade. Muita compreensão e cooperação é necessária, para que a união resulte em pleno.
Escorpião - Virgem
Dois signos que lutam e defendem os seus interesses e será com alguma dificuldade que um deles possa ceder. Não é de pôr de parte o caso de na área amorosa , de vez em quando funcionar bastante bem. Para isso, basta, porém de parte interesses próprios.
Escorpião - Libra
Signos que mantêm uma relação de grande cumplicidade. Em momentos de crise, conseguem na maioria das vezes ultrapassar as situações. Para não variar, o Escorpião terá de ser mais contido.
Escorpião - Escorpião
Relação, que só por masoquismo poderá funcionar. Ambos têm dificuldades de se conterem e de perdoar. Para considerar a hipótese de resultar, terão de ter muitas afinidades. O que não é nada fácil.
Escorpião - Sagitário
Relação que pode resultar. Mas, para que isso aconteça, o Escorpião deverá refrear os seus ciúmes e sentido de posse. Isto, porque o Sagitário gosta da independência e não lhe agrada ser controlado. Se conseguirem entender-se, a relação será óptima.
Escorpião - Capricórnio
Os objetivos nestes dois signos deverão ser coincidentes. Se conseguirem essa situação, a relação será ótima. O percurso de vida de ambos tem de se pautar pela identificação plena. Caso contrário, nada feito.
Escorpião - Aquário
As possibilidades de êxito desta relação está reduzida ao mínimo. O Escorpião e a sua tendência dominadora, choca com a recusa do Aquário em aceitar posições de subalternidade. A sinceridade, honestidade e tolerância, poderiam inverter a relação e torná-la até agradável.
Escorpião - Peixes
O entendimento entre estes dois signos pode ser muito agradável e até feliz. Ambos são sensíveis a paixões, e a intuição entre os dois é grande. Como sempre, o Escorpião pode estragar tudo com os seus impulsos descontrolados.

Ok, o que acharam? Gostaram das imagens que ilustraram o post? Eu adorei,vão servir para dar uma incrementada nos contos rs, rs

Para finalizar um artigo do The Sun que a Má me enviou onde uma pessoa conta que na noite em que o Gerry esteve no Teddy's, o moço estava com três garotas de uma só vez. Leiam:

http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/showbiz/bizarre/2451792/Gerard-Butler-could-challenge-Russell-Brand-for-the-Biz-Shagger-Of-The-Year-Award.html

Viram isso? Uma no joelho, uma sussurrando no ouvido dele e outra dançando safadamente (existe isso?) para ele. Pode isso? Vou mandar envenenar as três!

E a Jennifer Aniston quer ter a mesma sorte que a Angelina teve em Sr. e Sra. Smith e engatilhar um romance na vida real com nosso amado? Está querendo demais pro meu gosto. Eita dor de cotovelo que não se acaba...E ela que se contente em só fazer filme com o Gerry, já está de muito bom tamanho para ela. E tenho dito!

Meninas, coloquei essa música da Etta James porque adoro essas versão dela, sempre gostei dessa música e sempre desejei uma versão feminina para ela. E essa ficou muito boa, muito safada, adorei! E aproveitando o clima quero colocar para quem nunca viu o vídeo do filme 9 1/2 semanas de amor.

Nesse clipe tem as famosas cenas da comida e do strip tease juntos. Vocês vão entender porque esse filme fez tanto reboliço na época. Ficou mais de um ano em cartaz em São Paulo! As cenas são lindas e deliciosamente eróticas. E vocês verão como o Mickey Rourke era gatinho na época e entenderão porque ele simplesmente arrasou os corações mundo afora nessa época. Enjoy!

video

Beijos.

Informações sobre os signos: http://www.oguru.com.br/

quarta-feira, 27 de maio de 2009

O HOMEM DOS SONHOS

Gerry curtindo a praia de Malibu dia 25. Sexy e fofo, quer uma combinação mais gostosa?
Look at this arm, baby!
Graças a Deus, ele parou de usar aqueles jeans que pareciam um saco. Nada contra o jeans, ele pode usar qualquer coisa, contato que valorizem esse corpinho divino.
Caminhar à beira da praia com Gerry...ao pôr do sol. Já pensou? Ouvindo o barulho das ondas, as gaivotas, sentindo a brisa, a maresia...Depois sentar na areia e ouvir ele contar histórias da Escócia. Hummm, tão gostoso!

Está chegando o verão no Hemisfério Norte. Mais oportunidades para fotos dele mais à vontade. Oba!

Su, parabéns pelo seu aniversário e leia esse depoimento: http://whatzzpoppin.blogspot.com/2009/05/palihouse.html#comment-form É de fazer os olhinhos brilharem, não é? Thanks, Má Beijos

domingo, 24 de maio de 2009

HE'S REALLY BACK!

Parabéns, Adri, pelo seu aniversário e obrigada pelos elogios. Será que a Playboy está contratando? Gostei da ideia, viu?
E o Gerry realmente retornou à velha rotina. No bar Teddy's, sexta dia 22.
E como já é habitual o nome dele aparecer nas listas de personalidades sexy, Gerry é o número 8 da TV Guide, juntamente com a atriz Olivia Wilde.

video

Beijos, lindas e bom domingo a todas.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

ESTOU APAIXONADA! DE NOVO!

O que o Gerry tem de especial? Eu creio que é a capacidade de fazer uma mulher se apaixonar por ele todas as vezes que o vê. Gente, olha isso!
Gerry saindo do restaurante Village Idiot no dia 20.
Ah, Gerry, como é bom ter você de volta!
Esse sumiço na India já estava deixando todo mundo ansiosa.
Faz mais isso não, amor. Nós temos uns distúrbios sérios quando ficamos longe de você.
E na boa, é tão bom ver você sozinho rs, rs
Meu querido, que Deus te mantenha sempre com essa boa saude e te mantenha solteiro por muito tempo. Para o bem do nosso estado mental.

Meninas, eu dei a entender que o conto do Marek continuaria? Então, foi sem querer, viu? Não vai continuar, não posso me prender a ele, faltam os outros e o Chefe ainda ocupa o coração de vocês, então, nos contos, ele é o number one.
Então, o próximo da lista é o Stranger.
Beijocas.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

FINALMENTE O CONTO!

Gente do Céu, esse Marek me deu trabalho, viu? O primeiro conto estava com seis páginas e eu nem fazia ideia de como chegar aos finalmentes. Depois eu comecei a achar meio "viajandão" e comecei outro. Esse também foi lá para as seis páginas e eu não fazia ideia de como sequer introduzir a mocinha na história. No primeiro a mocinha já estava, logo de cara, mas depois fiquei meio na dúvida com o enredo. O segundo tinha o enredo legal mas não estava conseguindo colocar a mocinha de maneira convincente com o Marek. De repente me dei conta que a minha dificuldade estava em querer adaptar o conto para uma coisa parecida com o filme, numa época medieval. Isso não é necessariamente importante, né? Ele pode ser um arqueólogo nos tempos de hoje, né? Aliás, ele é, só foi transportado para o passado. E depois que eu decidi fazer um enredo no presente a coisa deslanchou fácil. Único porém: eu reclamei que os outros dois estavam com seis páginas? Esse deu 17! E um detalhe: quis dar um ar mais romântico porque o Marek é um herói romântico então não sei se ficou tão erótico quanto os outros. Vocês decidirão. Marek entrou na tenda do professor, que lhe falou sem rodeios. - Marek, preciso de um imenso favor. Se você não fosse o melhor da minha equipe não lhe pediria isso, mas só você pode me ajudar no momento. Marek o olhou interrogativamente, esperando ele acabar com o suspense. - Acabo de receber uma informação de que nossos amigos no Egito descobriram vestígios de uma cidade da época de Ramsés. Marek exultou com a noticia embora o momento não fosse ideal para ele. - Sei que prometi lhe dar férias dentro de uma semana, mas preciso que você vá até lá para garantir o lugar de nossa equipe nessa exploração. Recebemos a informação antes de todos, mas logo, logo várias equipes estarão lá. A mente de Marek processava rapidamente essa informação e o professor tomou seu silêncio como relutância. - Só preciso que me dê uma semana, é o tempo que precisamos para terminar aqui e depois iremos diretamente ao Egito e você estará livre para tirar suas férias. Seis anos entre o trabalho na Universidade, as explorações, pesquisas, estudos, palestras. Desde que se juntara à equipe do professor Marek era um membro dedicado, mas agora precisa de um tempo. Não que estivesse cansado da arqueologia, jamais! Arqueologia era sua vida, sua paixão, mas ultimamente andava aborrecido e um pouco estressado. Precisava de férias antes que a situação atrapalhasse sua vida. O professor lhe dissera que um guia o levaria até o local e o ajudaria durante a semana em que ficaria lá. Segundo ele, era um nativo e uma pessoa experiente. Marek fora para o hotel, seu guia estaria lá no dia seguinte ás 08:00, portanto, ele jantou e foi logo para cama. O toque do telefone o despertou às 07:00. Ele tomou um banho, tomou seu café no quarto e desceu. No hall do hotel uma mulher jovem de jeans, camiseta branca e tênis se aproximou dele. - Sr. Marek? – ela perguntou sorrindo. - Sim. - Sou sua guia. Meu nome é Layla. - Você é minha guia? O professor me disse que seria um guia. Não que ele achasse ruim. Ela era bonita, deveria ter quase trinta anos, tinha um sorriso simpático e olhos castanhos inteligentes. O cabelo, também castanho, estava preso num rabo de cavalo dando-lhe um ar jovial. - Sinto lhe decepcionar, mas o seu guia original adoeceu e coube a mim a tarefa de levá-lo ao local da escavação, espero que não se importe – ela sorriu e colocando os óculos escuros o chamou- Vamos? Antes que ele pudesse responder ela já se dirigia para fora. Um jipe enorme estava parado próximo à calçada. - Já está tudo pronto? - Quando o professor confirmou que você vinha, providenciamos tudo. Estão todos muito empolgados com a descoberta e precisamos ser rápidos. A importância disso e a euforia que vai provocar vai ser inimaginável. - Estou cada vez mais curioso. Pena que não poderei ficar até o final. - Por quê? Algum problema? – perguntou ela guiando o carro pelo trânsito confuso da cidade. - Problema não, mas era para eu estar de férias exatamente hoje – ele fez uma cara frustrada. Ele deveria estar realmente cansado para não ficar empolgado com o que estava por vir, pensou ela. - Não se preocupe, logo, logo eles estarão aqui e você estará livre para ir. - Não vejo a hora – ele suspirou. Depois de desviar com habilidade do trânsito caótico finalmente pegaram a estrada. - Você é arqueóloga ou somente guia? - Sou arqueóloga também.Trabalho na universidade daqui. O pessoal conhece o professor e o admira muito. Conversaram sobre o professor, o trabalho de campo, as universidades. Ela tinha uma boa conversa, era uma mulher inteligente e bem informada e ele se sentia bem na companhia dela. - Não sabia que a Universidade do Cairo tinha curso de Arqueologia – ele observou intrigado. - E não tem – respondeu ela sorrindo – Sou formada pela Universidade de Oxford. - É mesmo? - Sim. Vim para a Universidade do Cairo para fazer meu mestrado em Sociologia e Antropologia. - Sério? Mas quantos anos você tem? - Tá me achando com cara de menininha pra fazer mestrado? – perguntou ela se divertindo com a situação. - Na verdade estou. Ela riu com gosto. - Ah, pelo menos ganhei meu dia. Sr. Marek, já passei dos trinta faz tempo. Ele ficou surpreso. Realmente não parecia. - Creio que devo agradecer ao meu pai por isso. Ele era egípcio e minha mãe inglesa. Sou branca, mas tenho o sangue moreno dele e isso é uma vantagem contra a passagem do tempo. - Você nasceu aqui? - Nasci na Inglaterra, mas sempre ligada à cultura egípcia. Fui criada entre os dois mundos. - E qual dos dois prefere? - É difícil dizer, cada um deles têm suas vantagens e desvantagens. A viagem durou umas duas horas, mas eles conversaram bastante. Marek se surpreendeu por se sentir tão bem na companhia de uma pessoa que mal conhecia. Não se sentia relaxado assim há muito tempo. Chegaram ao local e prontamente começaram a armar suas barracas. Ela lhe mostrou o local que já havia sido demarcado pelo pessoal da Universidade. Como ainda era cedo eles resolveram começar o trabalho. Em sua barraca Layla tirou o jeans e o trocou por um short e os tênis por botas e reforçou o filtro solar no corpo. Colocou um boné, pegou seu material. - Vamos à luta! Marek admirou discretamente as bonitas pernas bronzeadas. Apesar de sua formação acadêmica ela não tinha muita experiência de campo e perguntou muitas coisas para Marek. Arqueologia era uma ciência que exigia paciência, atenção, cuidado e metodologia mas sobretudo paixão. Pararam para comer depois continuaram até quando ainda restava luz e logo se recolheram, pois ambos estavam cansados. No dia seguinte iniciaram novamente suas tarefas. Marek constantemente mantinha o professor informado. Logo após o almoço Layla estava escavando cuidadosamente uma outra área um pouco afastada de Marek quando sentiu o chão desabar aos seus pés. Caíra de uma altura de uns dois metros, mal tivera tempo de se mexer. Marek gritava por ela. O buraco que havia desmoronado agora era enorme. - Você está bem? Se machucou? - Estou bem. - Espere aí que vou pegar uma corda. - Desça até aqui. - O quê? - Venha ver isso – ela pediu colocando-se em pé com dificuldade. Ele desceu rapidamente e lá embaixo conseguiram visualizar pela luz que entrava pelo buraco, várias entradas de túneis. - O que será que tem nesses túneis? – perguntou ele iluminando uma parede com a lanterna. Havia inscrições gravadas na pedra. - Me ajude a me aproximar – Layla pediu - Oh, desculpe – ele se aproximou e ela colocou o braço sobre o ombro dele. Ele a enlaçou pela cintura e por um instante os olhos deles se cruzaram. Ela sentiu um arrepio. Podia sentir os músculos dele sob o tecido da camisa. Desviou os olhos rapidamente e fixou sua atenção na parede. Eles se aproximaram, ela estudou as inscrições durante um tempo depois disse: - Parece que descobrimos uma cidade subterrânea aqui. - Isso é incrível! – ele disse - Isso é maravilhoso! – ela completou. Enquanto seus olhos observavam fascinados aquela incrível descoberta, todo o corpo dela estava em alerta por causa da proximidade dele ao seu lado, o braço forte em sua cintura. Num movimento ansioso dele ela gemeu. - Ah, desculpe. Vou tirar você daqui. Você acha que consegue subir por uma escada de corda? - Sim, não quebrei nada. Ele subiu rapidamente e jogou uma escada de corda. Ela conseguiu subir com uma certa dificuldade. Lá em cima ela a pegou pela cintura e ela se apoiou novamente nos braços dele. Evitou os olhos dele, mas os seus focalizaram diretamente na boca, o que não ajudou muito. Ela a guiou até a entrada de sua barraca e a fez sentar. - Tem certeza que não quebrou nada? - Creio que não, apesar de estar doendo muito. - Está bem inchado, vamos tirar essa bota. Ele tirou sua bota e apalpou o pé e cuidadosamente girou-o para os lados. - Pelo jeito não quebrou nada. Você só precisa de repouso e analgésico. - O analgésico seria perfeito. Ele foi pegar e na volta anunciou. - O jantar hoje fica por minha conta. - Que maravilha! Enquanto você faz o jantar vou “tomar um banho”. Diante dessas palavras ele a olhou de uma maneira que ela preferiu ignorar. - Precisa de ajuda? Ele fez a pergunta de uma maneira simples, natural, livre de qualquer entonação de malícia, mas mesmo assim o coração dela insistiu em disparar. - Não, obrigada, acho que posso me virar. Com um pouco de dificuldade ela entrou na barraca e com cuidado pegou os apetrechos para o “banho”. Esse era um dos melhores momentos do dia, aliviar o calor sentindo a água escorrer pelo corpo. Apesar do pouco espaço e da pouca água o ato era apreciado justamente por ser tão precioso. Mas mesmo a água fria, normalmente tão relaxante, hoje não conseguiu acalmar seus nervos. Sua memória ainda tinha registrado o contato com o corpo quente dele. Não queria pensar nisso, não podia. Assim que ela entrou na barraca Marek também foi para a sua. A idéia de um banho era por demais convidativa e ele gostaria de estar igualmente limpo quando ela voltasse. O problema era que ele não conseguia parar de pensar nela. Ficava imaginando a água escorrendo pelas bonitas pernas e logo todo o resto tomava conta de mente dele. Precisava se acalmar e a água fria não estava ajudando. Lembrou-se da garrafa de vinho que o professor lhe dera antes de sua partida. Era um costume da equipe comemorar e o professor quis que ele trouxesse a bebida. Ele precisava de algo mais forte, mas era melhor assim. Quando Layla saiu ele havia feito uma pequena fogueira e uma pequena panela fervia. - O cheiro está bom, o que é? - Melhor não perguntar – ele respondeu brincando. Ela riu e ele admirou o tom dourado que a fogueira emprestava à sua pele. Ela usava uma camiseta regata e uma bermuda. - Vou confiar em você, hein? - Prometo que não é nada venenoso, mas não garanto como seu estômago vai reagir. Ele riu da cara chocada dela e mexeu o conteúdo da panela. Ela notou que os cabelos dele estavam molhados. Ele também tinha tomado banho e isso a perturbou. Estava sentada à beira de uma fogueira no meio do deserto, sob um céu escuro, pontilhado por milhares de estrelas e uma lua linda ao lado de um homem que era praticamente um estranho, mas que estava tendo o poder de perturbá-la seriamente. Disfarçadamente ela admirou os cabelos escuros encaracolados que chegavam na nuca dele. Ela nunca gostara de homens de barba, mas nele ficava muito sexy e quando ele falava ela se concentrava na boca bonita dele. Mas o que ela mais gostava eram os olhos, verdes acinzentados. Às vezes ele tinha um jeito de olhar que era tão penetrante. Ela tinha certeza de que se ele quisesse poderia hipnotizá-la facilmente apenas com o olhar. E se ele fizesse isso ela faria qualquer coisa que ele pedisse. A imagem dele deitado sobre ela com a boca devorando a sua foi tão repentina e forte que ela sentiu o rosto queimar. Desviou os olhos rapidamente antes que ele notasse seu comportamento. Ele serviu dois pratos e para disfarçar ela puxou assunto sobre a descoberta do dia. O assunto foi focado nisso e ela fazia um esforço para manter a conversa nesse tema. - Lembrei de uma coisa. Sempre trazemos uma garrafa de bebida para comemorar uma grande descoberta. Estou com uma garrafa de vinho, você quer? - Eu adoraria. Num pulo ele correu até sua cabana e voltou rapidamente com a garrafa. - Humm, muito bom – ela disse ao experimentar a bebida. - Foi professor que me deu. - Muito bom mesmo. Adoro vinho. E daí a conversa transcorreu para bebidas preferidas e logo para coisas que gostavam. A certa altura ele lhe perguntou desprentesiosamente: - Você é casada? - Divorciada. E você? -Fiquei noivo uma vez, mas depois percebi que não era isso o que eu queria. Ela olhava para a fogueira. - Gostaria de ter percebido isso a tempo. Meu casamento foi um desastre - ela parecia mergulhada em lembranças. Marek não queria pressionar, mas estava curioso. - Ele é arqueólogo? Ela olhou para ele e deu um sorriso triste. - Ele é diretor de uma grande empresa. Ela viu a expressão dele e atalhou. - Pois é, foi uma bobagem. Eu achava que estava terrivelmente apaixonada por ele e que nossas diferenças não pesariam e sim seriam um desafio que fortaleceriam o amor. Nunca estive tão redondamente enganada em toda minha vida. - E de quem foi a idéia de casamento? Dele? - Não, minha. - Por quê? Você estava grávida? Marek já havia ultrapassado o limite da boa educação, mas o vinho e a curiosidade ignoraram isso. E ele percebeu que ela já estava um pouco alta e por isso ficara tão solta. - Não, o motivo não foi esse. Eu tinha medo de ficar sozinha. - Como assim? - Medo da solidão. E no fim quebrei a cara. Ele ficou em silêncio. - Se pudesse voltar no tempo... – ela continuou. - Ele não é uma má pessoa, éramos ambos jovens e foi uma tremenda burrada. - Quanto tempo ficaram juntos? - Cinco anos. - Você pensa em casar de novo? - Não – a resposta foi tão convicta que ele se assustou. - Por que não? - Acho que casamento não é pra mim. - Mas nem sequer tentou? Algum namorado seu não falou em casamento? - Não tive namorados desde que me separei. - Por quê? - Você poderia me explicar, Marek Agora ele tinha certeza que ela estava bem alta. -Eu? - Onde estão os homens que querem compromisso? - Provavelmente no mesmo lugar que as mulheres que querem compromisso. - O que há com as pessoas hoje em dia? - Ela parecia não ter ouvido o que ele disse – Ninguém quer saber de ninguém, as pessoas não se olham mais, não sentam para conversar, não querem namorar mais, não querem ter que respeitar ninguém. - Hoje em dia é a apologia do fast sex, rápido e sem compromisso. Você não pergunta nem nome, vai lá e pronto. Ninguém se importa com os sentimentos dos outros, é todo mundo usando todo mundo. Ela ficou em silêncio e ele notou que os olhos dela estavam se fechando. - Acho melhor deitarmos. - Sim – ela concordou. Ele se aproximou para ajudá-la a se levantar. Ela gemeu. - A perna está doendo? - Um pouco e a outra adormeceu – ela riu baixinho. Ele a pegou no colo e ela encostou a cabeça no ombro dele. Ele a colocou em seu saco de dormir e tirou-lhe as botas. Tirava-lhe a roupa ou não? Ele a observava com o corpo largado, tão indefesa. Melhor deixar assim, ela se viraria. Ele saiu rapidamente antes que fizesse algo que se arrependesse. No dia seguinte ela acordou tarde. O sol quente estava a pino. - Marek – ela gritou. - Estou aqui – a voz respondeu lá do buraco. - Por que não me acordou? - Você está com a perna machucada, por que vou incomodá-la? - Estou aqui para ajudá-lo e não para ficar dormindo. Ela começou a descer. O ambiente estava iluminado por dois lampiões e ele trabalhava numa espécie de pedra entalhada num canto. Estava sem camisa e as costas musculosas eram um convite para o toque. Sentiu um arrepio involuntário. - Veja isso – ele disse convidando-a a se aproximou. Havia uma inscrição na pedra e ela precisou se inclinar bem próxima a ele para lê-la. Quase estendeu a mão para o ombro dele em busca de apoio, mas conteve-se. Ela leu o que estava escrito. Era algo que se referia à deusa Isis, mas não esclarecia muito porque faltava um pedaço. Marek se entusiasmou com o fato dela poder traduzir muitas coisas ali. Ele estava num excelente humor e eles trabalharam bastante até fazerem a pausa para comer algo. - Você está mancando bem pouco agora. - Sim, está bem melhor agora. Em compensação acordei com uma terrível dor de cabeça. Na verdade acordei cedo, mas tive que tomar duas aspirinas e ficar deitada esperando melhorar. Foi o vinho ou sua comida que me envenenou? - Minha comida não tem nada a ver com isso. Veja, eu estou vivo. - O vinho estava tão bom... Seria até capaz de beber outro – ela confessou com uma expressão engraçada que o fez rir. - Já vi que vou ter que esconder qualquer coisa que tenha álcool de você. -Tão engraçadinho. Voltaram ao trabalho. O clima leve e camarada entre os dois aumentara desde a noite anterior. Layla gostava muito da companhia dele. Apesar de ele ser o mais experiente dos dois constantemente lhe pedia opinião ou perguntava alguma coisa referente à cultura egípcia. Mas apesar do clima amigável ela não conseguia relaxar com ele trabalhando sem camisa ao seu lado. Sem querer esbarrava no braço dele ou o seu braço encostava nas costas dele e parecia que uma corrente elétrica a percorria toda. Em um certo momento Marek adentrou em um outro túnel e a chamou. - Layla, venha aqui. - O que foi? - O que você acha que é aquilo? Ele apontava alguma coisa no teto. - Não sei. É um objeto encravado no teto? - É o parece, pena que não temos uma escada aqui. Olharam para os lados, mas não havia onde se apoiar, o objeto estava bem no centro do teto. Pensaram em como tirar o objeto dali. - Só há um jeito – Layla disse. - Como? - Você me ergue e eu tento puxá-lo. Ele pensou e achou que poderia dar certo. Ele era alto e ela quase da altura dele. Ele a pegou pela altura do bumbum e a ergueu. Ela estendeu os braços para cima e conseguiu tocar o objeto. Estava bem preso. - Preciso retirar com cuidado. Melhor pegar os instrumentos. Ele a fez descer com cuidado. A camiseta se levantou até na altura dos seios enquanto ela escorregava pelo corpo dele. Apoiou-se nos ombros dele até sentir o chão sob seus pés, mas mesmo assim os braços dele não a largaram. O abraço dele era apertado e o contato do corpo dele com o seu delicioso. Ela olhou para ele e os olhos dele a hipnotizaram por um segundo. - Vou pegar os instrumentos – ela sussurrou e ele, parecendo despertar, afrouxou o abraço. Ela foi para o outro cômodo sentindo as pernas trêmulas, pegou o que precisava e voltou. Colocou os óculos de proteção e se aproximou dele. Ele abaixou-se e a ergueu. Ela começou a trabalhar. - Tenha cuidado – ele disse. - Terei – ela respondeu sentindo a respiração da boca dele na pele da barriga que a camiseta deixava descoberta. Um movimento dela fez desprender pó e algumas pedrinhas. - Ai – ele protestou. - O que foi? - Quase acerta meu olho. - Não olhe para cima, você está sem óculos. Ele obedeceu e encostou a cabeça na barriga dela, a pele em contato com sua boca. Deus, era muita tentação! Ambos pensavam. Ela apressou-se em tirar aquela coisa. Jogou os instrumentos longe e puxou com as mãos. Ele percebeu o gesto dela. - Cuidado, você pode quebrá-lo. - Já está saindo – e ela deu um puxão que o fez perder o equilíbrio e ambos despencaram no chão. - Marek, Marek, você está bem? Ele respirava com dificuldade, mas ao abrir os olhos ele a viu sentada sobre ele. Começou a rir, mas as costas doeram. - Ai... Ela saiu rapidamente de cima dele. - Venha, vou ajudá-lo a levantar-se. Ele queria lhe pedir que ficasse onde estava, mas algo lhe dizia que ela talvez não gostasse. Ele ergueu-se, ela pegou o objeto e ambos voltaram para cima. - Você está bem? - Estou mas foi uma pancada boa. - Me deixa ver. Ela deu a volta e tocou as costas dele, deslizando as mãos por toda extensão. Ela procurava ver se ele tinha se cortado ou algo assim mas admitia que era um ótimo pretexto para passar a mão nele. Lembrou-se de como foi ficar sentada sobre ele. Deus, ele tinha um corpo! - Acho que você está bem. Eles estudaram a peça que parecia ser uma espécie de punhal. Restava saber como fora parar ali mas na verdade isso não era exatamente o que ocupava o pensamento de ambos. Trabalharam na superfície até o final do dia. A tensão era quase palpável. Evitavam se tocar porque parecia que qualquer um poderia explodir a qualquer momento. O ar estava quente, a lua enorme, o céu estrelado e os nervos dela à flor da pele. Ela nunca se sentira tão...intensa em toda sua vida. O coração parecia que sairia pela boca a qualquer momento. Não sabia se poderia encará-lo. Achava que estava estampado em sua cara o que desejava. Mas ela sabia que sairia, sabia que queria que ele soubesse. Estava ficando louca, só podia ser. Respirou fundo e saiu. Marek já estava lá fora, sentado de costas para ela. Ela não fez nenhum barulho mas ele sentiu sua presença. Sentia o cheiro do sabonete dela e isso o excitou como o mais poderoso dos afrodisíacos. Ele voltou-se e lhe estendeu um prato com uma expressão séria. - Está com dor? Gostaria de uma aspirina? Ele a encarou de uma maneira tão profunda que ela prendeu a respiração. - Sim – ele sussurrou. Ela voltou até sua barraca e vasculhava sua mochila quando sentiu a presença dele. Parou o que estava fazendo e aguardou. Sentiu as mãos dele em seus ombros. Ela suspirou, tremendo pela antecipação. Sentiu a boca dele beijar sua nuca e encostou seu corpo no dele. Os lábios desceram por seus ombros e as mãos para seus seios. Ela jogou a cabeça para trás abandonando-se para ele. Ele acariciava seus seios com carinho por sobre o tecido e então a fez virar-se de frente. Livrou-a da camiseta e ela ficou nua da cintura para cima. Ele a olhava encantado com a beleza de seus seios. Tocou-os com carinho e ela suspirou novamente. Ele a puxou pela cintura e beijou-a. No início foi um beijo gentil, carinhoso mas logo se tornou intenso, urgente. Ela também puxou a camiseta dele para cima e ele rapidamente a tirou. Ela também queria tocá-lo mas antes que tivesse chance ele estava inclinando-se para beijar seus seios. A língua dele era quente, gostosa e envolveu seus seios com carinho e malícia. Ela gemeu deliciada e antes que percebesse estava deitada sobre o saco de dormir e ele puxava seu short para baixo. Ela ficou só de calcinha e ele acariciou-a sobre o tecido, excitando-a, deixando-a prever o que estava por vir. Então ele se inclinou sobre ela e a beijou novamente e em seguida escorregou seus lábios por toda extensão do corpo dela. Conforme seus lábios aproximavam-se da calcinha as mãos dele a puxavam para baixo já deixando o caminho livre para sua língua voraz. Ele a estava levando à loucura e ela achava que a qualquer momento explodiria. - Marek...- ela gemia sem forças. E então de repente ele estava deitado sobre ela beijando-a e ela concluiu que nunca sentira sensação mais gostosa do que o contato do corpo dele no seu. Sem parar de beijá-la ele afastou suas pernas e a penetrou gentilmente. Ele foi conduzindo-a com carinho, ganhando a confiança dela e aumentando o ritmo aos poucos. Seus corpos estavam muito próximos, eles suavam. Layla acariciava as costas, os braços dele, beijava seu pescoço. Estava tão excitada como jamais imaginara. Marek afastou-se e levantou-a fazendo com que ficassem sentados um de frente ao outro. Encaixou-a novamente sobre ela, deixando-a no comando. - Você é linda! – ele disse beijando-a. Ela sorriu sentindo-se realmente a mulher mais bela e desejável do mundo. - Você também! Não era só uma retribuição de elogio, era verdade. O corpo dele era deliciosamente lindo! Marek a segurou pelos quadris e ajudou-a a aumentar o ritmo. Layla inclinou o corpo para trás apoiando-se nos braços dele. Essa posição fez com que os seios ficassem expostos para ele e Marek não resistiu. Layla sentiu que estava perdendo o controle e num gesto de urgência enterrou as unhas no braço dele. Os gemidos de ambos encheram o ar e ela não conseguiu mais continuar. Abandonou-se sobre ele sentindo o corpo todo tremer. Passaram a noite fazendo amor. Acordaram tarde no dia seguinte e à noite eles juntaram seus sacos de dormir e fizeram amor do lado de fora. Marek deitado de costas observava deliciado Layla se mover sobre ele. O cabelo esvoaçando com a brisa da noite, os seios dourados pela luz da fogueira. Ela era uma deusa, deusa linda do amor. No outro dia ela estava limpando alguns objetos que eles encontraram quando sentiu os braços dele à sua volta. - Amanhã o professor e o resto da equipe vão estar aqui. Acho que nós poderíamos tirar o resto do dia de folga depois do almoço. Ele beijava sua nuca e ela se voltou para ele sorrindo. - Ah, é? E o que vamos fazer no nosso dia de folga? - Eu estive pensando numas atividades bem interessantes. Para excitá-la ele sussurrou algumas sugestões em seu ouvido. Ela gemeu, apertando o braço dele. - Acho que não vou agüentar esperar até lá. Ele riu deliciado com os olhos castanhos que estavam da cor de chocolate derretido. Ela ficava deliciosa quando estava excitada. De repente ouviram um barulho de motor. Marek deu a volta no acampamento a tempo de ver três jipes enormes se aproximando. Um sorridente professor desceu do primeiro jipe que chegou. Eles se olharam espantados. - Professor, que surpresa! Pensei que só viria amanhã. Ele aproximou-se sorrindo. - Ah, Marek, meu caro, conseguimos terminar nosso trabalho e viemos voando para cá. Todas as novidades que você me disse eram por demais excitantes para esperar. E eu sei como você está desesperado para sair daqui. Ele virou-se para Layla. - Layla, minha querida, quanto tempo. Layla aproximou-se para abraçar o velho amigo procurando disfarçar a decepção. O acampamento antes silencioso foi tomado por uma verdadeira invasão de gente, barracas e equipamentos. - E eu tenho uma ótima surpresa para vocês. Como essa semana não estava no plano de nenhum de vocês eu os estou liberando imediatamente. Ele virou-se para Marek e estendeu-lhe algo. - Aqui está, meu caro, sua passagem de volta. Seu vôo sai hoje à tarde. E voltando-se para Layla disse: - E você, minha querida, recolha suas coisas. Você irá comigo imediatamente para a Universidade. Vamos levar o que vocês acharam e analisar com sua equipe mas preciso de sua preciosa ajuda. Então o professor se afastou curioso com tudo à sua volta. Marek olhou para Layla sem saber o que dizer e de repente todos os seus amigos estavam à sua volta perguntando-lhe mil coisas. Mas o que ela mais ouvia é o quanto ele desejava ir embora para tirar suas tão desejadas férias. Algo nessas palavras a feriram demais. Quando percebeu ela já havia se afastado. Não puderam se falar desde então. O professor ofereceu-se para levar Marek de volta ao Cairo e como ele não via Layla há anos foi sentado no banco de trás conversando com ela enquanto Marek ia na frente com o motorista. Ele deixou Marek na porta do hotel onde Layla fora buscá-lo na sua chegada. Marek pegou na mão dela e ela percebeu que ele não sabia o que dizer e para não prolongar uma situação embaraçosa ela simplesmente disse: - A gente se vê. E ele simplesmente respondeu: - É. E o jipe se foi. Dois dias depois ele se encontrava na praia de Bondi Beach em Sidney. Não era época de temporada para turistas e a cidade não estava invadida. Ele não parara de pensar em Layla. A separação repentina deixou um gosto amargo na boca dele. Ele não pensava em se envolver com ninguém mas não queria que as coisas tivessem terminado de forma tão brusca. Marek desejou essas férias há tanto tempo. Estava cansado, esgotado e queria ficar sozinho. Alguns dos solteiros da equipe planejavam as férias juntos mas dessa vez ele queria um tempo só para si. Mas após uma semana sozinho na cidade australiana ele se sentia estranhamente solitário. Evitava pensar nela mas os sonhos eram inevitáveis. E a imagem do corpo dela nu à luz da fogueira não lhe saía da mente. Ele decidiu sair à noite. Foi numa danceteria. Uma morena bonita lhe chamou a atenção. Ela tinha um corpo sensacional e olhos verdes reluzentes. Tentou puxar conversa mas ela não tinha muito dizer. Passaram a noite juntos e no dia seguinte ele disse: - Me dá seu telefone. Vamos combinar de sair novamente. A morena linda deu um sorriso torto para ele. - Para quê, amor? E quebrar a magia desse encontro? Vamos deixar as coisas assim, ok? E ela se foi. Ele se sentiu usado e então lembrou-se do que Layla disse à beira da fogueira. Ela tinha razão, as pessoas só queriam usar umas às outras hoje. E de repente ele lembrou-se de que ela poderia estar pensando o mesmo dele. Ele não a usou, não mesmo. Não? Não! Ela fora especial! Ela era especial! Era especial, linda, maravilhosa, encantadora, brincalhona, sexy, inteligente...Marek de repente parou. Que bobagem fizera? Como deixara que ela se fosse daquela maneira? E ainda a deixara ir se sentindo usada! Pegou o telefone e discou o número do rádio do professor. - Alô Ele não conhecia essa voz. - Posso falar com o professor, por favor? - O professor foi ao Cairo, quer falar com outra pessoa? - Não, não, você sabe me dizer se Layla, a moça egípcia está aí? - Não, ela foi embora. - Foi embora? Quando? - Há três dias. Ela não estava mais lá. O único lugar onde poderia encontrá-la era na Universidade. Marek comprou passagem para o Egito no mesmo dia. Sua mente era um turbilhão só. Tentou se distrair ouvindo algumas músicas no avião. Entre as opções havia Layla do Eric Clapton. Ele começou a se desesperar com a demora. Chegando ao Cairo foi direto para a Universidade. Procurou a faculdade de Sociologia e soube que ela havia trancado a matrícula e voltara para Londres. Com muito esforço conseguiu o endereço dela e foi para Londres. Ele estava cansado e dormiu no avião o tempo todo. No dia seguinte à tarde ele estava na capital inglesa em frente ao prédio onde ela morava. Tocou a campainha mas ninguém atendia. Uma pessoa estava saindo do prédio e ele aproveitou para entrar. Ela não estava em casa então ele esperaria ali fora, sentado. Fechou os olhos e recostou a cabeça na parede. Foi despertado pelo toque de uma mão em seu rosto. Abriu os olhos e lindos olhos cor de chocolate sorriam para ele. - Marek, o que faz aqui? Como resposta ele apenas a puxou para si e a beijou. E para finalizar um vídeo muito romântico. Vocês vão adorar!

video

Beijos.

Fofoca: estão filmando um novo Robin Hood. Russell Crowe interpretará o herói mas eu quero mesmo é o Sheriff de Nottingham (olhinhos revirando).

sábado, 16 de maio de 2009

CONTO DO MAREK

Gente, estou com uma mania péssima. Meus contos estão ficando muito longos. Comecei a escrever o conto do Marek, fiz seis páginas completas e nem sequer estou perto dos finalmentes. Foi assim com o Drácula, que escrevi dois antes de finalmente sair aquele do bar. Eu vou me empolgando, a idéia vai surgindo, crescendo, evoluindo e não acaba, só aumenta. Minha dúvida: vocês esperam um pouco mais e coloco assim mesmo ou eu resumo e coloco logo? Vou deixar a decisão nas mãos de vocês. Má, não se preocupe com o Gerry, vai dar tudo certo, você vai ver. Ele vai pagar uma indenização para o cara, vai se comprometer com algum tipo de programa de controle e só. Se há provas de que ele foi provocado, isso vai ser levado em conta. Certamente o Gerry precisa se controlar, como qualquer outra pessoa. Ele quer porque quer ser uma celebridade, fazer seu nome em Hollywood e como NADA nessa vida são 100% flores ele precisa saber lidar com essas pragas desses paparazzi. Infelizmente eles vêm no pacote. E não importa qual seja a decisão, ele sempre terá nosso apoio. Muitos outros artistas tiveram problemas com paparazzi e estão bem. Como o Gerry tem um bom "histórico", digamos assim, com a mídia, creio que isso será levado em conta. Ele é réu primário nesse caso. Os outros paparazzi da própria TMZ podem comprovar que nunca tiveram problema com ele. Esse cara deve ter falado merda. Com um bom argumento e uma defesa bem pensada o advogado dele vai dar um jeito. Gerry também se formou em advocacia, ele com certeza saberá como agir. Só quero que depois desse susto ele aprenda a se controlar por dois motivos: nos Estados Unidos eles não dão moleza, celebridade ou não. E, astro ou não, ele ainda é um estrangeiro. Estamos torcendo por ele. Bjs.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

BABADO!

Pois é, gente, o bicho está pegando pro lado do Gerry. Eu vi a notícia ontem à noite no próprio site do TMZ e a Binha me mandou hoje a notícia que também saiu no EGO. http://ego.globo.com/Gente/Noticias/0,,MUL1126600-9798,00-GERARD+BUTLER+PODE+SER+PRESO+DEPOIS+DE+ESPANCAR+FOTOGRAFO.html Esperamos que ele consiga se defender e que realmente isso não acarrete a penalidade pesada de prisão. Ele pode entrar naquele programa de controle de raiva rs, rs E se, em último caso, ele pirar e quiser fugir, pelas normas tradicionais não há lugar melhor que o Brasil, certo? Você não se sente envergonhada quando assiste um filme ou lê um livro e o vilão sempre vem para o Brasil? Como diz o Sr. Porquinho da India: "Ai, que vergonha!" O Gerry é o único que receberíamos de braços, e o que mais ele quisesse, abertos. Aaaaaiiii..... Peguem suas senhas, meninas, caso ele resolva vir se refugiar aqui, eu e a Binha já estamos na fila rs, rs Adri, gostei de saber que você sentiu essa conexão com um trecho da música. Isso é o que eu acho bom em música. Há sempre alguém que sente uma ligação. Eu adoraria ser uma cantora. Sabe aquele desejo que se alguém pudesse realizar seria o que você pediria? Acho simplesmente emocionante e arrepiante você ter o poder de emocionar milhões de pessoas ao redor do mundo, das mais diferentes línguas, culturas e religiões. É um poder lindo e fenomenal. Imagina você compor uma música aqui e alguém lá no deserto no sei de onde ouvir, dançar, cantar junto e gostar de você, se emocionar por sua causa. Você, através do seu talento, conseguir fazer alguém sorrir, chorar de emoção. É incrível! Eu mesma vivo movida à música. Impossível trabalhar sem ouvir nada. A música me levanta, me acalenta, me acalma, me anima, me conforta. Em muitos momentos ruins a música é uma verdadeira terapia para mim. Vanessa, você é um amor! Gente, hoje está um climazinho borocoxó, cinzento, um pouco frio, perfeito para uma atualmente desempregada como eu (ai, Senhor!), Então vou aproveitar o momento e fazer os neurônios pensaram no conto para o Marek hoje. Se não der nenhum tilt, coloco hoje à noite. Beijocas.

terça-feira, 12 de maio de 2009

TRAILER NOVO DE GAMER

Novo trailer de GAMER, SHOW DE BOLA!!!!!!!!!!!!! video Gente, eu sou chegada num filme de ação, viu, e esse parece que vai ser DEMAIS! E fala sério, como o Gerry fica bem no papel de machão. Ui, que delícia! Ai, meninas, é isso aí, o blog é um espaço para todas escreverem o que desejam e eu sempre me emociono com o que vocês contam. A Rute comentando sobre o post ALMA GÊMEA e contando como conheceu o maridão e depois no post do vídeo da Susan Boyle ela falando sobre voltar a investir no seu grande sonho. Depois teve a Adri falando sobre a música The Best e o namorado que ela teve e agora você, Vanessa falando um pouco de você. Foram todos relatos lindos e que me emocionaram muito, muito mesmo. Vanessa, tenho certeza de que você é uma mãe fabulosa e faça exatamente como você está fazendo. Realmente é horrível quando notamos que essa vida atribulada nos toma tempo para nós e aqueles a quem amamos mas não se deixe vencer. Abra espaço, cultive tempo e se durante a semana não der, nos fins de semana compense. Beije muito, abrace muito, diga sempre o quanto ama, curta os momentos mais simples pois a vida é tão incerta, não sabemos o que o futuro nos reserva por isso é tão importante amar e deixar o outro saber que é amado. No fim das contas não levamos nada dessa vida mesmo. Temos que dizer "eu te amo" hoje, aqui e agora, não sabemos se poderemos dizê-lo amanhã. E como diz a música: "É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, pois se você parar pra pensar, na verdade não há". Um beijo para todas, mães e filhas, pais e filhos, irmãs e irmãos, amigas e amigos, virtuais mas igualmente reais. PS: Próximo conto com André Marek, aguardem!

domingo, 10 de maio de 2009

FELIZ DIA DAS MÃES!

Meninas, hoje cedo enviei um e-mail para cada uma da minha lista de contatos desejando FELIZ DIA DAS MÃES. Mesmo assim resolvi fazer esse pequeno post para desejar também para aquelas que não receberam. Um grande dia para todas nossas queridas mamães e futuras mamães como a Rita. Hoje também é aniversário do Bono do U2, que eu adoro, por isso incluí essa música que eu adoro e é da Patti Smith. Gosto da versão dela mas o coração cai para o U2, lógico. Beijão.

sábado, 9 de maio de 2009

ARE, BABA! AS INDIANAS CONTINUAM BABANDO POR ELE!

E parece que finalmente chegaram num acordo em relação ao nome definitivo de "GAME", que foi chamado de "Citizen Game" e agora é oficialmente "GAMER". Já tem poster e site oficiais. Ficou show de bola esse poster.
Hoje recebi as fotos mais recentes do Gerry na India tanto pela Má como pela Venus. A Venus pediu para não olharmos muito para não gastar. Pedido impossível de realizar, amiga. Na verdade, a foto que você me enviou até já desapareceu e não foi porque olhei demais e sim porque lambi demais. Tenho até a impressão de que a tela do meu note está mais fina.
Já a Má como sempre se deliciou com as imagens e está muito feliz pelo ar descansado e descontraído dele. Ele até parece mais jovem mesmo.
A Má crê que ele se sente bem lá na India, que o lugar faz muito bem para ele. Torcemos para que esse ar feliz dele seja só pela India e não pela indiana. Quero vê-lo feliz, Má, mas é difícil não sentir a fisgada do ciúme.
Ah, mais ele está realmente tão fofo.
O negócio do Gerry é a noitada, com Priyanka ou sem Priyanka.
Só fico imaginando quem é a felizarda que está tendo o privilégio de enfiar a mão pela abertura dessa camisa e se deliciar.
Como vocês gostam de dizer: "ARE, BABA!"

Beijos.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

MULTI-GERRY

Gente, acho tão engraçado vocês chamarem a Priyanka pelo delicado apelido de Pry. Toda vez que eu leio o meu cérebro leva aquele milésimo de segundo para compreender que vocês não estão falando da Priscilla que mora lá em Londres e sim da Priyanka.
Delicado ou não, a moça deve ir ao templos e rezar muito pedindo proteção contra inveja e olho gordo porque a torcida para que esse suposto romance dela e do Gerry vá por água abaixo é forte.
Fazer o quê, né? Segundo a Cat é isso o que acontece com mulheres que ficam arrastando asa para um Dalit, o NOSSO Dalit. Pelo que eu sei nenhuma de nós deu permissão para ela tocar no amado.
Novas fotos liiiiiinnnnndas de The Ugly Truth.
Morram, criaturas!
Que tal um coraçãozinho de presente?
Charmoso.
Debochado.

Nem precisa embrulhar pra presente.

Sarcástico.
Irônico.
Impossível.
Gerry recebendo dicas de como deixar Mike mais safado. Como se ele precisasse disso. É o mesmo que ensinar o Pai Nosso ao vigário.

A loira lindinha tem ideia de quantas mulheres se estapeariam para estar no lugar dela?

E mais duas fotos novas de Law Abiding Citizen.

Olha esse braço! Me lembra aquelas mangas grandes, suculentas. Dá uma vontade de morder...hummmm.

Se ele soltar um rugido eu juro que rasgo a roupa.

E mais uma nova foto de GAME.

Gerry e Michael C. Hall, o doido do Dexter.
Adri, atendendo ao seu pedido estou colocando a música do Iron & Wine, que é realmente muito fofa, pena a letra ser tão estranha. Dá vontade de encontrar o cantor e perguntar o que significa, infelizmente não faz sentido para mim. Essas músicas devem ser algo tão especial que só faz sentido para quem as compoem, como aqueles quadros e obras de arte moderna, que eu não sei dizer de jeito nenhum o que significa. São interpretações muito pessoais. Talvez eu seja meio tapada para compreender mas sou ótima para dar uma desculpa para essas coisas, vocês não acham? rs, rs. No e-mail que te mandei comento de outras duas que também adoro.
Por falar em Crepúsculo ele tem sete indicações para o MTV Movie Awards desse ano, entre elas, Melhor Filme, Melhor Atriz (Kristen), Melhor Ator Revelação (Rob e Taylor Lautner disputando juntos), Melhor Música (Decode do Paramore), Melhor Cena de Luta e Melhor Beijo que TEM que ganhar porque o beijo é tudo de bom.
Por falar em Taylor, você já viu o Wolf Pack? Noooooooooosssssaaaa!!!!
Eu adorava a MTV e principalmente o MMA que tinha ótimas categorias como o mais gostoso e a mais gostosa. Teve até uma categoria de Melhor Atuação de um Objeto Inanimado e o Vanilla Ice ganhou. Hoje em dia eles estão tão sem graça.
Eu esperava ver o Gerry em alguma categoria por causa de RocknRolla que é um puta filme mas...Puxa, por que não pelo menos a categoria de Melhor Dança para RocknRolla? Imbatível!
Meninas, vou compartilhar com vocês um vídeo que a Manuela me enviou. É muito lindo! Vocês vai adorar.

video

Beijos, adoráveis.